Festas de São João se aproximam

03/06/2017 Autismo, Deficiência Intelectual, Notícias 2
0 Flares 0 Flares ×

Passado o Dia das Mães, aproximam-se agora os festejos juninos. E com eles, mais apresentação nas escolas (e esse é sempre um momento tenso para famílias que tem crianças com desenvolvimento atípico – mais precisamente para essa coluna, crianças autistas). Nesses momentos, as diferenças entre as crianças fica latente.

Na minha percepção, cada vez mais as apresentações nas escolas estão virando grandes espetáculos (luzes, fumaça, fantasia, fogos, música alta, coreografias difíceis, grandes plateias) e, algumas vezes, fugindo do objetivo das datas (alguém já se colocou no lugar de uma criança que tem uma composição familiar diferente do padrão imposto? E daquele aluno cujo pai ou mãe já morreu? Complicado… Mas, vamos voltar ao assunto do texto: as festinhas nas escolas).

No caso do autismo, precisamos considerar algumas peculiaridades, entre elas o Transtorno de Processamento Sensorial, que é, em poucas palavras, uma condição na qual o cérebro tem dificuldade para receber e responder à informação que vem através dos sentidos. Eles podem ser hipersensíveis a alguns estímulos (evitando os mesmos) ou hiposensíveis a eles (buscando esses estímulos).

O que mais ouvi no mês de maio foram os seguintes depoimentos sobre as apresentações durante as Festas das Mães nas escolas: “meu filho ficou parado durante a apresentação”; “meu filho ficou incomodado com as luzes”; “minha filha parecia uma marionete com a tia atrás dela”; “a professora disse que meu filho não quis participar dos ensaios”; “a diretora orientou a não levar meu filho pra festa”.

Felizmente, também ouvi alguns exemplos de participação plena de crianças autistas em suas escolas.

publicidadeNa minha opinião, precisamos estimular a participação de todos os alunos, observando sempre suas potencialidades (todos nós temos!) e dificuldades (cada um de nós também tem várias). A escola, por ser um espaço de convivência social, tem o dever de criar um evento que permita que isso aconteça. Algumas estratégias podem ser utilizadas, como:

– evitar excessos de estímulos sensoriais (música alta, luzes, fumaça, fantasia com muitos acessórios);

– posicionar um adulto de referência à frente do aluno (porém distante) para que ele imite os passos da coreografia;

– dispor os alunos em duplas ou em círculos;

– realizar ensaio no local e horário onde acontecerá a apresentação, usando a mesma roupa que será necessária no dia;

– informar à família sobre a música e a coreografia, para que em casa haja uma continuação. Para as famílias também seguem algumas dicas (para nossa sobrevivência emocional):

– não compare seu filho com ninguém (valorize a evolução dele, o quanto vem se desenvolvendo);

– se seu filho não consegue se comunicar ao ponto de lhe passar informações e desejos, procure a escola para se inteirar do que acontecerá durante a festa, como estão acontecendo os ensaios, se seu filho parece gostar desses momentos;

– estimule a participação de seu filho, mas não encare como uma obrigação participar desses momentos. Pense sempre em participar desse tipo de atividades escolares de forma gradual;

– explique para seu filho sobre a data que está sendo comemorada (use o meio que estiverem acostumados: história social, imagens, vídeos…);

– crie expectativas dentro da realidade da sua família (lembre-se: você conhece melhor do que ninguém essa criança);

– participe dessas festinhas caso sinta-se à vontade para isso. Às vezes “forçar a barra” pode ser traumatizante para todos;

– não se culpe caso decidirem não participar desta vez, eles sempre nos surpreendem. Um dia, vai dar certo;

– demonstre para seu filho, em qualquer circunstância, o quanto o ama e se orgulha dele.

Inclusão se FAZ assim: adaptando, adequando, flexibilizando, oportunizando a participação de todos.

Sugestões de temas, enviar para: fernandacavalieri@gmail.com
Conheça a Associação Fortaleza Azul – FAZ: facebook.com/fazbrasilinstagram.com/fortalezaazul

Receba um e-mail com atualizações!

Assine e receba, gratuitamente, nossas atualizações por e-mail.

Eu concordo em informar meu e-mail para MailChimp ( more information )

Nós jamais forneceremos seu e-mail a ninguém. Você pode cancelar sua inscrição a qualquer momento.

Compartilhe:

2 Comentários

  1. Augusto Parente 04/06/2017 Responder

    Parabéns pelo tema Fernanda. Sempre direta ao ponto.

  2. Lindalva Fernandes 05/06/2017 Responder

    Gostando muito de suas ideias e sugestões bastante proveitosas. Bjs

Deixe o seu comentário!